Retribuindo aos veteranos e às famílias de militares

Categories: Open Homes

Não é exagero dizer que o serviço militar corre nas veias da família de Ashlee Wajer. Seu pai é um veterano da Força Aérea que convenceu todos os seus filhos sobre as recompensas de servir seu país. Ashlee se alistou na Guarda Nacional Aérea de Montana aos 17 anos, logo após o ensino médio, e em um determinado momento, cinco de seus parentes mais próximos — Ashlee, seus dois irmãos, seu pai e sua madrasta — serviam na Guarda Nacional Aérea do estado. Neste Dia dos Veteranos, estamos destacando Ashlee e sua família porque ela também é uma hóspede do programa Open Homes.

Alguns anos após seu alistamento inicial, Ashlee começou a notar hematomas estranhos em seus braços e pernas, mas não tinha certeza se deveria se preocupar. “Eu sou uma pessoa muito ativa — gosto de caçar, pescar e acampar, faço todos os tipos de coisas ao ar livre e sou muito independente.” Mas, quando ela tentou doar sangue posteriormente, informaram que o nível de hemoglobina dela estava muito baixo para doar.

Em janeiro de 2016, depois de muitos meses, consultas médicas e horas de pesquisa na internet, Ashlee foi diagnosticada com uma condição sanguínea rara chamada anemia aplástica. Ela também estava grávida de três meses. Ashlee se consultou com um especialista pelo restante da gravidez e deu à luz ao seu filho Maverik em maio, em uma cesariana de emergência. “Duas semanas depois de ter Maverik, eu descobri que tinha que ir a Salt Lake City para receber um transplante de medula óssea.”

Dois anos depois, Ashlee se tornou uma nova pessoa após o transplante. Maverik é um menino de cabelos encaracolados de 2 anos e meio, que veste com uma fantasia de Homem-Aranha e corre em círculos em torno de sua mãe. Ashlee ainda vive em Great Falls, mas precisa viajar para Salt Lake a cada dois meses (com Maverik e sua mãe, Kathy) para se consultar com seus médicos. O seguro cobre a maior parte das despesas médicas, mas é preciso levar em conta os custos de transporte e alojamento — é aí que entra a Fisher House Foundation.

Criada em 1991 por Zachary e Elizabeth Fisher, a fundação ajuda as famílias de militares e veteranos enquanto seus entes queridos recebem tratamento em centros médicos militares e de veteranos. Desde a sua criação, eles construíram 78 casas Fisher nos EUA, no Reino Unido e na Alemanha, e a fundação também conecta famílias de militares e veteranos a opções alternativas de hospedagem, quando necessário.

A condição de Ashlee é muito rara, por isso ela recebe tratamento fora da rede médica militar padrão. No ano passado, a Fisher House forneceu a Ashlee, Maverik e Kathy um lugar para ficar durante suas visitas médicas a Salt Lake City. Em outubro de 2018, através da parceria do programa Open Homes com a Fisher House, Ashlee se hospedou gratuitamente em um apartamento de dois quartos no centro de Salt Lake, a poucos minutos do seu local de tratamento.

“Eu gostei bastante. Sem dúvidas, me sinto mais em casa quando fico na casa de outra pessoa. É muito aconchegante, temos um espaço privado só para nós e podemos cozinhar, então tem sido muito bom.”
– Ashlee Wajer, hóspede do Open Homes

Meredith Moore, administradora do programa da Fisher House Foundation , acrescenta que “o lema da Casa Fisher é ‘o amor da família é um bom remédio’.  Todos nós precisamos do amor da família, principalmente quando estamos machucados, doentes ou feridos. Este programa permite que a família se concentre no bem-estar de seu ente querido em vez de ter que se preocupar com o pagamento de uma hospedagem ou com a distância.”

Ashlee mencionou que a possibilidade de trazer sua mãe para cuidar dela e dar apoio tem sido uma ajuda enorme, e ela também é muito grata à sua rede militar pelo suporte prestado durante sua jornada de tratamento: “A Guarda Nacional Aérea é uma pequena comunidade. Somos basicamente como uma família. Eu provavelmente não estaria aqui hoje se não fosse por todos os benefícios e o apoio deles.”

No Dia dos Veteranos, sabemos que a força e os sacrifícios de nossos membros de serviço são prioridades. Independentemente de você ter servido ou simplesmente querer retribuir, hospedar através do programa Open Homes é uma pequena forma de honrar nossa família militar.

Up Next